Eventos pelo Brasil

Rio Grande do Sul

Na dia 19/06, o Programa Centelha RS deu a largada na etapa de Acompanhamento através de um evento online, onde as 28 empresas selecionadas no estado receberam orientações sobre a execução dos seus projetos, com maior aproveitamento dos recursos e cumprindo as exigências legais necessárias. O evento contou com a participação do Secretário da Secretaria Estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia (SICT), Luís Lamb, do Superintendente de Pesquisa Aplicada e Desenvolvimento Tecnológico da Finep, Vitor Kappel, da Presidente do Badesul, Jeanette Lontra, do Gerente de Inovação e Serviços Financeiros do Sebrae, Augusto Martinenco, da Diretora de Comunicação da Rede Gaúcha de Ambientes de Inovação (Reginp), Daniela Carolina Eckert, e representando a Fundação CERTI, Helena Zanette. Também participaram do encontro o Diretor Técnico-Científico da FAPERGS Gervásio Annes Degrazia e a Diretora Administrativo-Financeira, Patricia Maria Seger.

Um convidado especial ao evento foi o Presidente do Conselho Nacional das Fundações de Amparo a Pesquisa (Confap) Fábio Guedes, que destacou o pioneirismo da FAPERGS e a relação estreita entre a Finep e o Confap, que vem agregando muito viabilizando projetos inovadores nos estados brasileiros. O Diretor-Presidente da FAPERGS, Odir Dellagostin coordenou o evento mencionando que o estado do RS é o primeiro do país a dar a largada no Programa Centelha. O Secretário da SICT, Luís Lamb, registrou o seu contentamento pelo evento, porque ele marca a construção de um novo ecossistema de inovação, “Não há outro caminho para o desenvolvimento sem dar os passos pelo conhecimento e pela inovação”, destacou ele. A Presidente do Badesul, Jeanette Lontra, parabenizou a todos os selecionados porque agora poderão materializar suas ideias.

Representando o Sebrae, Augusto Martinenco, destacou que estas empresas têm a responsabilidade de efetivar suas propostas para que sejam concretizadas em negócios. “Para isto há uma equipe capacitada de pessoas para auxiliar cada um de vocês”, falou Augusto. A Reginp, através da sua Diretora de Comunicação, Daniela Eckert, colocou à disposição conexões com os associados desta rede, possibilitando visibilidade às novas empresas do Programa Centelha/RS. Vitor Kappel, representando a Finep, deu sequência ao evento destacando que o empreendedorismo inovador era uma meta da Finep, “O Programa Centelha está aí para contemplar o que faltava e proporcionar a criação de uma rede, de um ecossistema de inovação”, ressaltou ele.

Com um público de mais de 60 pessoas, a transmissão foi conduzida pela equipe da FAPERGS, que apresentou as etapas que deverão passar os projetos. O Programa Centelha RS teve 784 propostas submetidas, com 1968 integrantes de equipes, 211 ideias aprovadas, 104 projetos aprovados na Fase 1, 48 projetos aprovados na Fase 2 e 28 empresas contratadas para a execução dos seus projetos pelo período de 12 meses. Confira a lista das empresas aprovadas aqui.

FONTE: FAPERGS

Paraíba

O Governo do Estado da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Educação Ciência e Tecnologia (Seect) e Fundação de Apoio à Pesquisa (Fapesq), realizou, no dia 03 de agosto, o evento de firmamento de Termo de Outorga com as 25 empresas titulares selecionadas no Programa Centelha PB. O evento foi transmitido pelo canal Youtube da Fapesq e contou com as presenças de Vitor Dias Kappel, gerente do Departamento de Desenvolvimento Tecnológico e Subvenção Descentralizada (DDTS) da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep); Marília Hoffmann, analista em Empreendedorismo Inovador da Fundação CERTI; Claudio Furtado, secretário de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba, e o presidente da Fapesq, Roberto Germano Costa.

As 25 equipes selecionadas serão contempladas, cada uma com até R$ 60 mil em subvenção econômica, além de outros benefícios oferecidos por parceiros do programa. Ainda, durante seis meses, essas empresas passarão por um processo de pré-incubação com suporte e capacitação para transformar suas ideias em negócios de sucesso.

O evento deu início ao desenvolvimento do projeto. Os coordenadores dos projetos irão assinar os Termos de Outorga e em seguida receberão os recursos. As empresas terão 12 meses para execução dos projetos. Em setembro mais cinco empresas na lista de suplentes também deverão assinar os Termos de Outorga para receber os recursos e iniciar as atividades. Confira a lista das empresas aprovadas aqui.

FONTE: FAPESQ

Alagoas

O Governo de Alagoas continua trabalhando para garantir e reforçar os investimentos nas áreas de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I). Esse compromisso do Estado com os alagoanos foi destaque no Webinar “Investimentos para Inovação em Empresas Alagoanas” realizado na manhã da sexta-feira (7) e transmitido ao vivo pelos canais do YouTube da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) e da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). A programação contou com painéis, anúncios de novos programas e investimentos, a cerimônia de contração das empresas aprovadas no Programa Centelha, e a presença de autoridades representantes do Governo do Alagoas, Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Sebrae AL, Fapeal e Fundação Certi.

Na ocasião, o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Rodrigo Rossiter, destacou que a pasta vem trabalhando a transversalidade entre os setores e conversando bastante com as Universidades, Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e Fundações de Amparo (FAPs). Rossiter exaltou a enorme quantidade de ideias inscritas no Programa Centelha e adiantou que a Secretaria está trabalhando para trazer mais editais de fomento à inovação e pesquisa para Alagoas. Já o diretor-presidente da Fapeal, professor Fábio Guedes, garantiu a nova edição do programa Centelha com o lançamento de edital previsto para o início de setembro. Disse ainda que a intenção do Governo Federal é fazer com que o Programa Centelha chegue a todos os estados brasileiros.

Ao final das solenidades, aconteceu a cerimônia de contratação das empresas aprovadas no Centelha Alagoas, com a assinatura virtual dos Termos de Outorga pelos coordenadores dos projetos, documento que oficializa o compromisso do repasse dos recursos de subvenção pela Fapeal e execução dos projetos. No estado, 30 empresas serão contempladas cada uma com até R$ 57,1 mil em subvenção econômica, capacitação e suporte para o desenvolvimento do produto e modelo de negócio, além de outros benefícios oferecidos pelo programa.

Na parte da tarde, aconteceu o Primeiro Workshop de Capacitação de Startups do Programa Centelha Alagoas, com o tema Validação. A capacitação foi aberta à toda a comunidade empreendedora do estado e ministrada pelo Consultor de Negócios da Fundação Certi, Carlos Bizzotto, marcando o início da etapa de Acompanhamento do programa.

Agora as empresas terão 12 meses para execução dos projetos e aplicação dos recursos, sendo 6 meses contando com o suporte e capacitação empreendedora da Fundação Certi. O evento teve grande repercussão e somou mais de 1,5mil acessos e interações simultâneas durante sua realização, resultado do trabalho de fortalecimento do ecossistema de inovação alagoano.

Confira a lista das empresas aprovadas aqui.

FONTE: FAPEAL

Programa Centelha realiza Workshop para identificar melhorias e traçar próximos passos

O Programa Centelha atingiu a marca de mais de 15 mil ideias inovadoras submetidas em todo o Brasil ao final de julho, envolvendo mais de 38 mil empreendedores nas equipes das propostas submetidas. Nos dias 6 e 10 de agosto, o programa reuniu em um evento online os gestores estaduais do Centelha para avaliar resultados obtidos até então e identificar melhorias para o programa.

Criado para incentivar o empreendedorismo por meio de capacitações, subvenções financeiras e suporte, o Programa Centelha é uma iniciativa promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), e operada pela Fundação CERTI.

O investimento destinado para a implementação do programa, contando os recursos de subvenção, bolsas de fomento tecnológico e contrapartidas estaduais, chega a mais de R$ 40 milhões e será destinado para apoiar mais de 500 projetos, que recebem suporte para transformarem suas ideias em negócios de sucesso.

O Workshop de avaliação do Centelha reuniu mais de 100 pessoas de todas as regiões do país, dentre representantes das equipes executoras estaduais e parceiros do programa. Por meio de uma dinâmica online, foram obtidos feedbacks para o planejamento de melhorias para próximas edições do Programa Centelha. Para o Secretário de Empreendedorismo e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Paulo Alvim, esse é um momento não só de avaliação, mas também de reconhecimento de pessoas, de instituições e, principalmente, dos participantes do Centelha em todo o país. Ele comenta: “Nós temos um programa muito grande, que transforma, que muda, cria expectativas, e ele se torna muito mais relevante nesse momento pós-pandemia”. Ele explica que o Programa Centelha é visto como um elemento que pode acelerar o processo de geração de riqueza a partir da agregação de valor baseado em conhecimento científico e tecnológico.

Os parceiros do programa também avaliam positivamente os resultados gerados pelo Centelha até então. Para Marcelo Bortolini, Diretor de Desenvolvimento Científico-Tecnológico da Finep, o Centelha é mais do que um instrumento de fomento ao empreendedorismo, ele é um instrumento de mudança cultural. Fábio Guedes Gomes, Presidente do Confap, destaca que por meio do programa é possível identificar, em diversas partes do país, pessoas e ideias brilhantes. A Diretora de Cooperação Institucional do CNPq, Maria Zaira Turchi, complementa: “Esse programa acabou tendo um apelo tão forte de estimular nossos jovens, de trazê-los, e trazer as boas ideias para que contribuam com a inovação, que ele foi abraçado por todos com muito empenho e para mim é uma satisfação enorme ver como está indo bem. Esse já é um programa de Estado, que tem solidez para permanecer e que fará realmente muita diferença.”

Próximos passos

O programa é executado de forma descentralizada em parceria com equipes executoras de cada estado. Dos 21 estados aprovados pela carta-convite da Finep, 19 já estão com o programa em andamento em diferentes fases, que vão desde a submissão de ideias até a contratação e acompanhamento das empresas. Ainda em 2020, o MCTI e a Finep devem lançar a chamada para o Centelha 2, com o objetivo de atingir todas as unidades federativas no próximo ano.

Leandro Carioni, Diretor Executivo do Centro de Empreendedorismo Inovador da Fundação CERTI, ressalta os números do programa e as expectativas para o futuro: “Hoje, em 2020, temos mais de 15 mil propostas e em 2021, o Centelha 2, pode aumentar ainda mais esses números. Realmente é algo único, transformador.”

Governo do Estado do Paraná lança o Programa Centelha PR

O Governo do Paraná, por meio da Fundação Araucária, das Superintendências de Inovação e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, do Sebrae e do Senai promoveram, nesta segunda-feira (15), o evento online de lançamento do Programa Centelha.

“A ciência, a tecnologia e a inovação sempre serão apoiadas pelo Governo do Paraná. É por meio da união, força e sincronia de todos os órgãos públicos, privados e segmentos da sociedade que podemos promover o desenvolvimento do País e consequentemente benefícios para a população”, enfatizou o chefe da casa civil, Guto Silva.

A solenidade contou com a participação de aproximadamente 180 pessoas, englobando coordenadores das agências de inovação, pró-reitores de pesquisa e pós-graduação e pró-reitores de extensão das universidades estaduais, federais e privadas do Estado. O setor produtivo paranaense e órgãos federais de extrema relevância para a ciência brasileira também participaram do evento. O lançamento também foi transmitido por meio do YouTube.

“Quero parabenizar a FINEP e a Fundação Araucária pelo trabalho e investimento em ações que promovem a geração de empregos, e também fazem com que as ideias saiam do papel e sejam implantadas no Estado. Tudo isso faz com que o Paraná seja cada vez mais reconhecido como um dos Estados mais inovadores do País”, disse o superintendente de inovação, Henrique Domakoski.

O programa irá oferecer recursos financeiros de até R$ 60 mil por projeto contemplado. A meta é apoiar de 27 a 30 novos empreendimentos inovadores.

“Temos clareza em utilizar a alta qualificação que temos na academia para auxílio na criação de riqueza e renda para o Estado e também na transformação da ciência e tecnologia em inovação. Focando também na criação de emprego, riqueza e renda”, destacou o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig.

O superintendente da ciência, tecnologia e ensino superior Aldo Bona comentou sobre a importância do material humano qualificado que o Paraná possui. “O Estado possui um sistema de ciência, tecnologia e inovação muito consistente e que abrange todo o Paraná. Essas áreas estão cada vez mais próximas da população e esse fator faz com que mais públicos tenham acesso aos benefícios gerados”.

O Programa Centelha

O Programa Centelha visa estimular a criação de empreendimentos inovadores e disseminar a cultura empreendedora no Brasil. O programa oferece capacitações, recursos financeiros e suporte para transformar ideias em negócios de sucesso.

“Agradeço o trabalho de todos envolvidos, da equipe da FINEP e ressalto que o Paraná tem um potencial imenso para não só gerar novas ideias, mas também para implantá-las”, comentou o presidente da FINEP, General Waldemar Barroso Magno Neto.

A iniciativa é promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e pela Financiadora Inovação e Pesquisa (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), e operada pela Fundação CERTI.

“A ideia dos novos arranjos de pesquisa e inovação desenvolvida pela Fundação Araucária é extremamente coerente com a linha de ação que seguimos. O Brasil possui uma teia de ecossistemas de inovação diferenciada, e é justamente essa diversidade que faz com que consigamos alavancar recursos”, informou o secretário de empreendedorismo e inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Paulo Alvim.

No Paraná, o Centelha é executado pela Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná (FA), no escopo do Novo Arranjo de Pesquisa e Inovação Startup Life.

“O Centelha Paraná contará com recursos totais de R$ 1.665 milhão, sendo R$ 1.110 milhão provenientes da Finep, e R$ 555 mil de contrapartida do Estado. Essa chamada pública é dividida em cinco grandes etapas: as inscrições das ideias, o projeto de empreendimento e de fomento, a abertura de empresas e contratação, e por fim, o acompanhamento dessas empresas. É uma excelente oportunidade para as empresas conseguirem recursos e serem reconhecidas pelos seus projetos”, disse o diretor científico, tecnológico e de inovação da Fundação Araucária, Luiz, Márcio Spinosa.

O presidente do CNPq, Evaldo Vilela também participou da solenidade de lançamento do Programa Centelha no Estado. “Parabenizo o Paraná, pois tem um patamar diferenciado, grande número de profissionais capacitados, e por esse motivo, precisa de mais programas como o Centelha, pois possui uma massa crítica e um setor produtivo solidificados”. O gerente regional leste do Sebrae – PR, Joailton Antonio Agostinho, e o gerente de inovação e produtividade do Senai, Felipe Couto, também participaram do evento e fizeram uso da palavra.

Evento online de Lançamento do Programa Centelha PR

Evento online de Lançamento do Programa Centelha PR

Evento online de Lançamento do Programa Centelha PR

Evento online de Lançamento do Programa Centelha PR

Workshop com Equipes Executoras do Programa Centelha

Até o momento, o Programa Centelha já recebeu mais de 14 mil ideias inovadoras de pessoas físicas e micro empresas, com mais de 35 mil empreendedores participantes nas equipes. Nos dias 12 e 13 de março, em Brasília, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) reúne gestores estaduais do Centelha para avaliar resultados e identificar ajustes no programa destinado a incentivar o empreendedorismo por meio de capacitações, subvenções financeiras e suporte.

O Centelha tem como metas até a sua conclusão capacitar 20 mil empreendedores e gerar quase 600 startups em todo o país. Para o secretário-executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Julio Semeghini, que participou da abertura do workshop, o programa oferece a oportunidade de transformar ideias em negócios concretos.  “Quanta gente quer ter a oportunidade de transformar sua ideia, seu projeto, em um negócio concreto? Este desafio é muito importante para o governo. A gente tem que preparar o país para esta realidade que estamos vivendo”, disse.

O investimento na implementação do programa, subvenções, bolsas de fomento tecnológico e contrapartidas estaduais é de R$ 41,5 milhões. A iniciativa é promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), e operada pela Fundação CERTI.

Para a representante do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Algéria Varela, que coordena o Centelha no Rio Grande do Norte, o programa trouxe muitos ganhos para o ecossistema de inovação da região. “Para o meu estado foi um ganho gigantesco. Nós conseguimos alavancar muitas ideias. O Centelha vem a contribuir com o primeiro edital de subvenção que teve uma participação maciça de todo o ecossistema de inovação, como as startups. O sistema é muito fácil de ser operacionalizado e isso facilita nosso trabalho”.

O programa é executado de forma descentralizada. Dos 21 Estados aprovados pela carta-convite da Finep, 18 já estão com o programa em andamento em diferentes fases, que vão desde a submissão de ideias até a contratação dos projetos. Para o coordenador de Ambientes Inovadores do MCTIC, Publio Ribeiro, os números colocam o programa como um dos maiores do mundo no incentivo ao empreendedorismo.

“O número de 14,3 mil ideias submetidas nesses estados coloca o Centelha como um dos maiores programas de empreendedorismo inovador no mundo. Certamente o maior já realizado no Brasil”, aponta.

MCTIC, Fundação CERTI, CNPq e Finep

Equipe Centelha AM

Equipe Centelha AM

Equipe Centelha GO

Equipe Centelha GO

 

Equipe Centelha PB

Equipe Centelha PB

Equipe Centelha RN

Equipe Centelha RN

Eventos pelo Brasil

II WORKSHOP DO PROGRAMA CENTELHA SE

A Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe – FAPITEC/SE realizou no dia 19 de novembro o II Workshop do Programa Centelha. O principal objetivo do evento foi auxiliar e incentivar os proponentes aprovados na Fase 2 do Edital na submissão do Projeto de Fomento da Fase 3 e sanar todas as dúvidas possíveis.

O evento aconteceu no auditório do Sergipe Parque Tecnológico – SERGIPETEC, São Cristóvão – SE, das 09h às 11h, e contou com a participação dos colaboradores José da Silva Rabelo – J. Rabelo Gestão da Inovação, Marcelo Dósea Leite – Gestor do SERGIPETEC, Marcos Vasconcelos – Acelerase, e toda equipe técnica, financeira e jurídica da FAPITEC/SE. Ao todo o evento contou com a participação de 108 pessoas, incluindo coordenadores e membros dos projetos.

Eventos pelo Brasil

Programa Centelha Amazonas é divulgado em Manacapuru

No dia 19/11, terça-feira, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Amazonas (Fapeam) divulgou o Programa Centelha AM em Manacapuru. A ação ocorreu na Universidade do Estado do Amazonas (UEA) com o objetivo de incentivar as pessoas a submeterem suas ideias inovadoras no Programa Centelha AM. Alguns parceiros do programa estavam presentes na ação, são eles: UEA, Câmara de Dirigentes e Lojistas, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae – Manacapuru) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

A gerente do Núcleo de Ensino Superior da UEA Campus Manacapuru, Andréa Barreto, destacou que a oficina de submissão de ideias foi importante para orientar as pessoas a se inscreverem corretamente. “É muito importante o Centelha para trazer novas ideias para o município e para o Estado”, disse Celonice Fonseca, gerente do Sebrae em Manacapuru. A professora do Senac, Dejean Mafra, destacou que o programa é inovador e tem despertado o interesse dos alunos. “Manacapuru tem vários projetos de alunos que estão prontos para se inscreverem no programa”, comentou.

Segundo a graduanda em Licenciatura em Matemática da UEA, Helora Rosas, o programa possibilita aos amazonenses trabalharem seus projetos e com isso contribuir com a melhoria de serviços e produtos para Estado. “O Programa Centelha dá esse suporte para que possamos expandir nossas ideias”, revelou. “Eu gostei do Programa, porque a ideia pode ser transformada em um negócio e oportuniza a pessoa tornar-se empreendedor”, disse Lucas Serrão, também graduando em Licenciatura em Matemática da UEA.

Programa Centelha em Manacapuru

Programa Centelha em Manacapuru. Foto: Érico Xavier/Fapeam

Programa Centelha em Manacapuru

Programa Centelha em Manacapuru. Foto: Érico Xavier/Fapeam

 

Centelha Talks

Na reta final das inscrições, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Amazonas (Fapeam), em parceria com a Fundação Rede Amazônica (Fram) e a The+ Lightspeed Business, promoveu o Centelha Talks na segunda-feira, 25/11, no espaço Acelera Amazônia, no Manaus Plaza Shopping.

O evento foi voltado para aqueles que iniciaram a submissão da sua ideia, porém não concluíram ou ainda tem dúvidas sobre o programa. No encontro, os participantes receberam orientações sobre o edital com a assessora do Centelha AM/Fapeam, Liliane Valente, e também participaram de uma palestra sobre ideação e pitch com a The+. Ao final, os participantes tiveram uma sessão de mentoria para refinar a ideia e submetê-la no Programa Centelha.

Centelha Talks

Centelha Talks. Foto: Érico Xavier/Fapeam

Centelha Talks

Centelha Talks. Foto: Érico Xavier/Fapeam

Centelha Talks

Centelha Talks. Foto: Érico Xavier/Fapeam