Programa Centelha abre inscrições em Minas Gerais

Interessados poderão se inscrever até o dia 27 de junho; projetos selecionados receberão mais de R$ 66 mil em subvenção econômica e R$ 26 mil em bolsas de apoio técnico

Estimular e fomentar a cultura empreendedora no Brasil, além de incentivar a inovação, é um dos principais objetivos do Programa Centelha 2, que acaba de abrir inscrições em Minas Gerais. A iniciativa oferecerá recursos financeiros, capacitação e suporte para até 25 selecionados, que receberão mais de R$ 66 mil em subvenção econômica e R$ 26 mil em bolsas de apoio técnico. As inscrições seguirão abertas até às 18h do dia 27 de junho de 2022.

Promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), e Fundação CERTI, o programa é executado em Minas Gerais pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).

“O Centelha 2 é mais uma iniciativa em parceria com a Finep, a qual aderimos com muito entusiasmo, já que tivemos resultados muito positivos na primeira edição. Estamos muito felizes com a renovação dessa parceria, que certamente renderá inovações importantes para o Estado de Minas Gerais e para todo o país”, comenta Paulo Beirão, presidente da Fapemig.

Em sua primeira edição, o Programa Centelha contou com mais de 15 mil ideias submetidas nacionalmente e mais de mil municípios envolvidos. Somente no Estado de Minas Gerais, foram 1.486 empreendedores capacitados, 523 ideias submetidas e 14 startups apoiadas. Neste ano, o Programa Centelha 2 acontecerá em 25 Estados e no Distrito Federal.

Para mais informações sobre o edital, o cronograma e todas as informações para submissão, acesse https://programacentelha.com.br/mg/

 

Via Oliver Press.

Rio Grande do Sul tem 50 ideias aprovadas na fase final do Programa Centelha 2

No dia 20 de maio, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS) divulgou o resultado final com os projetos contemplados no Programa Centelha 2 Rio Grande do Sul, sendo 50 aprovados e 40 suplentes. Aproximadamente R$3 milhões  serão destinados para a abertura dos empreendimentos finalistas, sendo esse valor dividido entre as empresas aprovadas. 

 

O Programa Centelha é uma política pública que tem como objetivo estimular a criação de empreendimentos inovadores e disseminar a cultura empreendedora em todas as regiões do Brasil. Aos projetos selecionados, o Programa oferece capacitações, recursos financeiros e outros tipos de suporte, a fim de impulsionar a transformação de ideias em negócios de sucesso.

 

Dentro do Programa há uma divisão em etapas, dentre estas, na etapa de seleção é onde há um maior contato com as ideias inscritas. Composta por 3 fases distintas, a etapa de seleção é onde os empreendedores participantes recebem capacitações e suporte para submeter suas ideias e projetos inovadores como pessoas físicas. Na primeira fase, os interessados devem apresentar suas ideias de negócios, destacando o problema de mercado e a solução proposta. O objetivo é identificar aquelas com maior potencial inovador. Na segunda fase, os selecionados devem, então, elaborar um projeto de empreendimento, detalhando o plano de negócio, com o objetivo de demonstrar as chances de a ideia gerar um bom negócio. Por fim, a terceira fase consiste no desenvolvimento de um projeto de fomento, com apresentação detalhada do orçamento e do planejamento de execução do projeto.

 

Ao longo da edição no estado do Rio Grande do Sul, o Programa recebeu 433 ideias inovadoras submetidas na fase 1, das quais 200 foram aprovadas para a fase 2 e 50 na fase 3.

As temáticas com maior número de projetos aprovados foram: Química e Novos Materiais, Nanotecnologia, Inteligência Artificial e Machine Learning. 

 

 

Dentre os projetos selecionados, 23% são do setor de Agronegócio, seguido por 17% de Meio Ambiente e Bioeconomia.

 

A região que mais teve participação entre os aprovados foi a  região metropolitana de Porto Alegre, contendo cerca de 25 ideias divididas em 5 municípios da região. 

 

Será destinado o valor máximo de até R$ 66.680,00 (sessenta e seis mil, seiscentos e oitenta reais) por projeto. Ao final da avaliação, poderão ser beneficiados mais projetos obedecida a ordem decrescente de Nota Final, podendo convocar novos suplentes caso haja disponibilidade financeira.

A iniciativa é promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), e Fundação CERTI. No Rio Grande do Sul, o Programa Centelha executado pela FAPERGS, vinculada à Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (SICT), em parceria com o BADESUL, com a Rede Gaúcha de Ambientes de Inovação (REGINP) e com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio Grande do Sul (SEBRAE/RS).

O Programa Centelha oferece todo o apoio para transformar ideias inovadoras em negócios de sucesso! Os projetos aprovados no estado do Rio Grande do Sul  receberão capacitações e suporte, serviços e descontos com parceiros do programa, uma comunidade para ampliar o networking, acesso a incubadoras e potenciais investidores e muito mais!

O Programa Centelha parabeniza todos os participantes da segunda edição e deseja boa sorte aos aprovados!

Lume Robotics recebe aporte de R$ 2,4 milhões

Startup capixaba que tem avançada solução de veículos autônomos no país, aplicável a diversos modelos, a Lume Robotics acaba de concluir uma rodada de investimentos no valor de R$ 2,4 milhões. Deste montante, R$ 1 milhão foi aportado pela Seed4Science, fundo capital semente para empresas de base tecnológica, e R$ 1,4 milhão pela VIX Logística, empresa de logística.

Com expertise em inteligência artificial, visão computacional e robótica autônoma, a Lume Robotics irá utilizar o valor captado para investir em tecnologia, focando na finalização do produto, na infraestrutura da empresa e no desenvolvimento da equipe. Com faturamento de quase R$ 1 milhão em 2021, a expectativa é chegar aos R$ 4 milhões em 2022.

Com clientes no portfólio como Petrobras e Vale, a Lume Robotics lançou o primeiro carro elétrico autônomo do Brasil para uso comercial em janeiro de 2020, trazendo um ganho enorme para a área. Atualmente, a empresa está com um projeto de veículo autônomo de 16 eixos, da Kirow, para transporte de gusa líquido, sem operador, na Siderúrgica Ternium Brasil, e de uma carreta autônoma para transporte em áreas portuárias.

Fundada em 2019, a startup passou pelo processo de aceleração do Programa Centelha 1, realizado em 2020, uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e a Fundação CERTI. No Espírito Santo, o programa é executado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (FAPES).

De acordo com Rânik Guidolini, CEO da Lume Robotics, a participação no programa foi fundamental para o amadurecimento e crescimento da startup porque, além do recurso financeiro, trouxe uma grande rede de contatos, consolidação da empresa e também estruturação e conhecimento dos editais de fomentos.

“Ter um projeto apoiado pelo Centelha é um grande marco para as empresas, uma vez que o investimento no ramo da tecnologia é muito alto e poucas pessoas têm acesso a criar tais empreendimentos. O programa é a migração de um sonho para a realidade”, acrescenta Guidolini.

“Depoimentos como esse são fundamentais para servir de exemplo e para que outros empreendedores possam se sentir confortáveis em um cenário com disponibilização de recurso para suas ideias se tornarem realidade”, comenta Marcelo Nicolas Camargo, superintendente da área de pesquisa aplicada e desenvolvimento da Finep. “Precisamos mostrar ao Brasil a importância de um programa de empreendedorismo inovador como o Centelha. É a possibilidade de jovens empreendedores, de empresas de base tecnológica, poderem se lançar no mercado”, conclui Camargo.

Conheça mais sobre a Lume clicando aqui!

Via IstoÉ

Cases de Sucesso

Cases do Programa Centelha

Cases de Sucesso

Cases do Programa Centelha